O ENSINO DOS NÚMEROS REAIS: DIFICULDADES EPISTEMOLÓGICA E HISTÓRICA DO CONCEITO DE NÚMERO REAL

Autores

  • Leandro Antônio Souto

Resumo

Este artigo tem como objetivo realizar uma análise histórica e epistemológica do conceito de números reais e o desenvolvimento desse conceito ao longo da história até chegar nas definições atuais presentes em objetos matemáticos que tiveram alguma influência na sua formação. O estudo será realizado sob a perspectiva da teoria histórico-cultural, cuja origem epistemológica está no materialismo histórico dialético, o que permite concluir que o desenvolvimento dos números foi marcado pelas diferentes formas de se trabalhar com as representações numéricas, sendo o conceito atual de número real o resultado de uma excursão de 25 séculos que contou com contribuições de diferentes civilizações em diversos momentos históricos.

Biografia do Autor

Leandro Antônio Souto

Doutorando pela PUC-Go; Mestre em Matemática – UFG; Professor da UEG, campus Cet e da PUC Goiás.

Referências

BOYER, C. B. História da Matemática. 3º ed. São Paulo: Blucher, 2012.

BONGIOVANNI, V. As duas maiores contribuições de Eudoxo de Cnidos “a teoria das proporções e o método da exaustão”. Revista UNIÓN. Junho de 1995. Página 91-110

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: introdução aos parâmetros curriculares nacionais / Secretaria de Educação Fundamental – Brasília: MEC/SEF, 1998a.

CAMPOS, Dinah M.de S., Psicologia e desenvolvimento humano. 5° ed. Petrópoles: Vozes, 2008.

CARAÇA, Bento de Jesus. Conceitos Fundamentais Da Matemática. Lisboa. 2005.

CONTADOR, P. R. M. Matemática, uma breve história – vol.1. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2012.

DAVYDOV, V. V. Problemas do ensino desenvolvimental - a experiência da pesquisa teórica e experimental na psicologia. Tradução de José Carlos Libâneo e Raquel A. M. da Madeira Freitas, 1988.

EVES, H. Introdução à história da matemática. 5 ed. Campinas: Editora da Unicamp, 1997.

IFRAH, G. Números: a história de uma grande invenção. 11 ed. São Paulo: Globo, 2005.

GARBI, G. G. A Rainha das ciências: Um passeio histórico pelo maravilhoso mundo da matemática. 5º ed. São Paulo: Livraria da Física, 2010.

KARLSON, P. A magia dos números: a matemática ao alcance de todos. Rio de Janeiro: Editora Globo, 1961.

LIBÂNEO, José. C.; FREITAS, Raquel, A. M.M. Vygotsky, Leontiev, Davídov: contribuições da teoria histórico-cultural para a didática. In: SILVA, C. C.; SUANNO, M. V. R. (orgs.) Didática e interfaces. Rio de Janeiro/Goiânia: Descubra, 2007.

____________. Ensinar e aprender, aprender e ensinar: o lugar da teoria e da prática em didática. In: Libâneo, José C.; Alves, Nilda. (Org.). Temas de pedagogia: diálogo entre currículo e didática. 1ed.São Paulo: Cortez, 2012, v. 1, p. 35-60. _____________. A teoria do ensino para o desenvolvimento humano e o planejamento de ensino. Educativa, Goiânia, v. 19, n. 2, p. 353-387, maio/ago. 2016.

REZENDE, W.M., O Ensino de Cálculo: Dificuldades de Natureza Epistemológica. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo: USP, 2003.

SANTOS, J. C. Números reais: um desafio na Educação Básica. Monografia de Especialização. Universidade Federal Fluminense. 2007.

VYGOTSKY, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. Trad. Paulo Bezerra. – São Paulo: Martins Fontes, 2000.

___________. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 6ª Ed. São Paulo: Livraria Martins Fontes Editora Ltda (1998).

Publicado

2019-07-29

Edição

Seção

Artigos