https://seer.facmais.edu.br/rc/index.php/RCE/issue/feed Revista Científica de Educação 2022-08-14T19:47:33-07:00 Cristyane Batista Leal rce@facmais.edu.br Open Journal Systems <p><strong>Foco e escopo</strong></p> <p><span style="font-weight: 400;">A Revista Científica de Educação é um periódico científico, especializado na área de Educação, editada pela Faculdade de Inhumas – FacMais. Sendo um periódico multitemático, tem como propósito contribuir com a difusão do conhecimento produzido no campo da Educação e com a atualização do debate que se realiza neste campo.</span> <span style="font-weight: 400;">As seções editorias da RCE são: </span><em><span style="font-weight: 400;">Artigos</span></em><span style="font-weight: 400;"> – espaço destinado à publicação de artigos multitemáticos, decorrentes de estudos investigativos vinculados à área de educação; </span><em><span style="font-weight: 400;">Em debate</span></em><span style="font-weight: 400;"> – seção destinada ao atendimento de demandas contínuas do debate contemporâneo de temas educacionais, com publicação de trabalhos acadêmico-científicos em diferentes formatos: ensaios; resenhas comentadas; relatórios de pesquisa; sínteses de dissertações e de teses; relatos de experiência. A Revista Científica de Educação está aberta à publicação de trabalhos inéditos que tomem como objeto temas pertinentes ao campo da Educação, especialmente relacionados a Educação, Cultura, Teorias e Processos Pedagógicos, Instituições e Políticas educacionais. </span></p> https://seer.facmais.edu.br/rc/index.php/RCE/article/view/74 COMPREENSÃO DE GÊNERO NO ÂMBITO ESCOLAR: OS ENCADEAMENTOS EM SER PROFESSORA COM AS INTERPELAÇÕES DE GÊNERO E SEXUALIDADE DENTRO DA SALA DE AULA 2022-08-14T19:20:19-07:00 João Paulo Rocha Ribeiro joaopaulorribeiro@gmail.com Josiene Camelo Ferreira Antunes josieneantunes@hotmail.com Daniela Kedna Ferreira Lima danylima_@hotmail.com Nayara Rubens Calaça Di Menezes nayaracalaca@gmail.com <p>Este artigo traz resultados referentes à pesquisa que teve como objetivo geral: Compreender as perspectivas de gênero no âmbito das práticas pedagógicas e como, para as professoras e os professores, o feminino e o masculino influenciam na percepção das vivências de gênero e sexualidade na escola. E como objetivos específicos: Inventariar as possibilidades e empecilhos enfrentados pelas professoras e pelos professores em geral para abordarem as temáticas de gênero e sexualidade em sala de aula; investigar quais percepções professoras e professores possuem acerca das relações de gênero estabelecidas entre as/os estudantes e como percebem a vivência da sexualidade no ambiente escolar; analisar as práticas pedagógicas de professoras e professores sob a perspectiva da educação para equidade de gênero e sexualidade. O método de análise escolhido foi o de educação comparada ou estudo comparativo, a fim de analisar as falas de professoras e professores em seus exercícios profissionais e comparar estas atuações. A abordagem utilizada foi a qualitativa, que permitiu entender os fenômenos de forma específica e em melhor profundidade. Foram entrevistadas duas professoras e dois professores, de escolas públicas estaduais, atuando no Ensino Fundamental Anos Finais. O texto traz uma reflexão acerca dos papéis de professores e professoras nas salas de aula a partir de seu sexo biológico. É quase inexistente que homens ocupem a docência no ensino fundamental e isso está atrelado a um preconceito, já que nesta idade, as crianças demandam mais cuidados diretos principalmente com o corpo.</p> 2022-08-14T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2022 https://seer.facmais.edu.br/rc/index.php/RCE/article/view/76 INTRODUÇÃO AO CONCEITO DE ATIVIDADE E SUA RELAÇÃO COM A EDUCAÇÃO ESCOLAR 2022-08-14T19:33:57-07:00 Wanderson Pereira Lima wplima9@gmail.com <p>O presente estudo ressalta o conceito de atividade baseando-se no referencial teórico da reconhecida Escola de Vigotski, destacando-se Davidov, tendo como matriz teórico epistemológica o materialismo histórico dialético. O objetivo central deste estudo é relacionar o conceito de atividade humana com a educação escolar, destacando o processo de ensino-aprendizagem. Foi realizado uma pesquisa bibliográfica em obras que discorrem sobre a temática, ressaltando-se a abordagem qualitativa. Desse modo, conclui-se que é fundamental valorizar o epistemológico, o psicopedagógico e o sociocultural como elementos da prática pedagógica na formação humana.</p> 2021-10-13T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2022 https://seer.facmais.edu.br/rc/index.php/RCE/article/view/77 UM OLHAR PARA A CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO EM DOCUMENTOS NORTEADORES DA EDUCAÇÃO HOSPITALAR 2022-08-14T19:41:40-07:00 Evelin Stefanie Ferreira Andreolla evelinandreolla@gmail.com <p>O objetivo desse artigo é analisar a concepção de educação nos documentos norteadores da educação hospitalar no contexto da educação inclusiva e como direito de estudantes enfermos receberem atendimento pedagógico. A educação hospitalar (EH) tem como intuito promover a continuidade dos estudos formais para jovens em internamento hospitalar. Esta modalidade de ensino é relativamente nova e fundamentada por documentos específicos que regem seus objetivos e atribuições. O Ministério da Educação – MEC, a partir dos dispositivos legais e pedagógicos da educação básica e inclusiva, propõe-se atuar para assegurar o direito de todos à educação regular. A Educação Hospitalar é garantida pela Lei nº. 13.716, de 24 de setembro de 2018, assegurando o atendimento educacional para estudantes da Educação Básica internados para tratamento de saúde. Pela letra da Lei, teriam direito a atendimento educacional não só alunos internados em unidades hospitalares, mas também os que, por alguma enfermidade, estiverem impedidos de deixarem seus domicílios para frequentar a escola regular. Conceber a educação em outros espaços educativos que não o escolar tem sido um desafio e tema de amplas discussões, tanto no âmbito federal como estadual, pois o objetivo central seria garantir o acesso aos estudos, independentemente da situação em que se encontra o aluno.</p> 2021-10-19T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2022 https://seer.facmais.edu.br/rc/index.php/RCE/article/view/78 A FORMAÇÃO DO PROFISSIONAL TRADUTOR-INTÉRPRETE DE LIBRAS E LÍNGUA PORTUGUESA (TILSP): UMA TRAJETÓRIA DE INVESTIMENTOS E DESVALORIZAÇÃO 2022-08-14T19:44:29-07:00 Giovane dos Santos Brito giovanebrito8@gmail.com <p>Socialmente, o número de surdos presentes em diferentes espaços têm crescido e grandes avanços com o intuito de assegurar acessibilidade a esses têm sido realizados. Contudo, a figura do profissional Tradutor intérprete de Libras e Língua Portuguesa, se consolida a partir da Lei n.º 12.319, sancionada em 2010, configurando-se como o profissional responsável por participar do processo de garantia de acesso à comunicação, informação e à educação, como ressalta o Decreto n.º 5.626, promulgado no ano de 2005. Por essa razão, a partir de um estudo bibliográfico, após adquirir conteúdos acerca do exercício do profissional TILSP, através do Curso de Extensão de Formação Continuada deste profissional, no INES e debruçado sobre diversos estudos (ANTONIO, MOTA &amp; KELMAN, 2015; BELÉM, COSTA &amp; ANTONIO, 2018; LACERDA, 2010; GIAMLOURENÇO, 2018, entre outros), pretendeu-se, a partir deste trabalho, revelar o percurso histórico dos TILSP que obtiveram o reconhecimento enquanto categoria somente a partir de 2010 e, posteriormente, discorrer sobre o percurso de busca por formação continuada pela categoria. Consequentemente, com a finalidade de refletir acerca da depreciação profissional encarada pelos TILSP, a pesquisa contribuiu para a exposição da grande desvalorização deste profissional, apesar de possuírem uma trajetória profissional marcada por lutas e importantes transformações.</p> 2021-11-04T00:00:00-07:00 Copyright (c) 2022 https://seer.facmais.edu.br/rc/index.php/RCE/article/view/79 FORMAÇÃO HUMANA E EDUCAÇÃO SEXUAL NA ESCOLA 2022-08-14T19:47:33-07:00 Osvaldo José Sobral sobral.osvaldo@gmail.com <p>Este texto tem por objetivo primordial apresentar uma discussão acerca de questões relativas à formação humana, presente nos cursos de formação de professores, pautada na “diversidade humana”, em um sentido amplo, e “educação sexual na escola”, no âmbito singular. Para tanto, foi realizada uma investigação bibliográfica que pesquisou as seguintes referências: Almeida et al. (2007); Amaral e Rabelo (2003); Bock (2006); Costa (2002); Denari (2006); Ferre (2001); Freitas (2006); Furlani (2003); Goodson e Cavalcanti (2003); Lins e Santiago (2001); Madeira (2001); Marques e Marques (2003); Rego (2011); Vitiello (2000); entre outras. Assim, discutiu-se: educação direcionada para a formação humana; formação de professores para a diversidade; e educação sexual na escola. Enfim, evidencia-se a relevância da existência de cursos de formação de professores – Licenciaturas e Pedagogia – voltada para a formação humana e a diversidade. Vale destacar que a eficiência de tais formações refletirá na possibilidade de realização de uma Educação Sexual de qualidade na escola. E, que é possível idealizar uma sexualidade humana vivenciada na “relação” entre pessoas, manifestada de maneira genuína e íntegra, sem que isto venha a se transformar em algum prejuízo de ordem acadêmica, afetiva, corporal, financeira, moral, profissional, psicológica, trabalhista, político-ideológica ou social para qualquer sujeito sexuado.</p> 2021-11-24T00:00:00-08:00 Copyright (c) 2022