O ENSINO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS A PARTIR DE CONTEÚDOS GEOGRÁFICOS: POSSIBILIDADES NA EDUCAÇÃO INFANTIL

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Lorena Francisco de Souza
Ilma Martins Alves de Oliveira

Resumo

Este artigo analisa a importância das relações étnico-raciais na Educação básica, a partir de conteúdos geográficos, apresentando possibilidades para a desconstrução de estereótipos acerca dos negros no Brasil. Nesse contexto, realizamos uma revisão bibliográfica, cuja abordagem salienta importantes reflexões acerca da educação para as relações Étnico-raciais num sentido mais amplo, bem como fortalecer o debate sobre a importância de esta temática estar vinculada a conteúdos geográficos no ensino infantil e fundamental, apresentando algumas situações no Ensino Infantil em uma escola municipal de Morro Agudo de Goiás. O ensino de Geografia, assim como outras ciências humanas, pode propiciar uma melhor compreensão das relações raciais na sociedade brasileira.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Francisco de Souza, L. ., & Martins Alves de Oliveira, I. (2021). O ENSINO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS A PARTIR DE CONTEÚDOS GEOGRÁFICOS: POSSIBILIDADES NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Revista Científica De Educação, 5(1), e021031. Recuperado de http://seer.facmais.edu.br/rc/index.php/RCE/article/view/105
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Lorena Francisco de Souza, UEG

Doutora em Geografia Humana (USP). Docente da Universidade Estadual de Goiás (UEG). 

Ilma Martins Alves de Oliveira

 Licenciada em Geografia (UEG)

Referências

APPLE, M. Ideologia e Currículo. São Paulo: Brasiliense, 1988.

ARROYO, Miguel. A infância interroga a Pedagogia. In: SARMENTO, Manuel e GOUVÊA, Maria C. S. de. Estudos da Infância: educação e práticas sociais (orgs.) Petrópolis-RJ: Vozes, 2008. P.119-140.

BRAH, Avtar. Diferença, diversidade, diferenciação. Cadernos Pagu. v. 26, 2006, pp. 329-376.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana. Brasília: SECAD/ ME, junho, 2004.

________. Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Diário Oficial da União de 10 de janeiro de 2003.

________. Referencial Curricular para a educação infantil/Ministério da educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. — Brasília: MEC/SEF, vol. 3, 1998.

_________. MEC/SECAD/SEPPIR. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana e referencial para a Formação de Professores. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2005.

_________,Educação antirracista: caminhos abertos pela Lei Federal no 10.639/03 /Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.236 p. (Coleção Educação para todos)

________. Parecer n. 20, de 11 de novembro de 2009. Diário Oficial República Federativa do Brasil, Ministério da Educação/Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Básica, Brasília, DF, 9 dez. 2012, seção 1, p.14.

DIAS, Lucimar Rosa Formação de professores, educação infantil e diversidade étnico-racial: saberes e fazeres nesse processoRevista Brasileira de Educação, vol. 17, núm. 51, septiembre-diciembre, 2012, pp. 661-674 Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação Rio de Janeiro, Brasil.

FORQUIN, J. Claude. Escola e Cultura: a sociologia do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

GIROUX, Henry. Professores como intelectuais: rumo a Pedagogia Crítica da Aprendizagem. Porto Alegre: ArtMed Editora, 1997.

GOMES, Nilma Lino. Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão. Educação antirracista: caminhos abertos pela Lei Federal Nº 10639/03. secretaria de educação continuada, alfabetização e diversidade. Brasília: ministério da educação, secretaria de educação continuada, alfabetização e diversidade, 2005. p. 39-62 (Coleção Educação Para Todos.)

_________. Diversidade étnico-racial, inclusão e equidade na educação brasileira:desafios, políticas e práticas RBPAE – v.27, n.1, p. 109-121, jan./abr. 2011

______; ARAÚJO, Marlene de. Estudo teórico sobre infância, educação Infantil e Relações étnico-raciais: alguns pontos para pensar a infância de 0 a 5 anos. In: COELHO, Wilma de N. B. et al (orgs) A lei 10.639/03: pesquisas e debates. São Paulo: Ed. Livraria da Física, 2014.

GUEDES, Elocir. NUNES, Pâmela.ANDRADE, Tatiane de. O uso da lei 10.639/03 em sala de aula.Revista Latino-Americana de HistóriaVol. 2, no. 6 – agosto de 2013 – Edição Especial© by PPGH-UNISINOS Página 421

GRUPO de Trabalho Interministerial Instituído por Meio da Portaria InterministerialMec/Mj/sePPIr Nº605 de 20 de maio de 2008.

LOPES, Verá Neusa. 13 de maio. Centrando o negro brasileiro como sujeito da história. Revista do Professor, n. 53, jan./mar. 1998.

LOPES, Jurema Rosa. A escola como espaço social, prática pedagógica e processo de trabalho: reflexões. Pro-Posições - Vol. 1 NQ5 (32) julho 2000.

SPIESS, Maiko Rafael. Plano de aula consciência negra ontem e hoje. Disponível em: www.acordacultura.org.br/artigos. Acesso29/05/2018.

MUNANGA, Kabengele. Superando o racismo na escola. 2a edição revisada /, organizador. –[Brasília]: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.

BARROS Ana Paula Paiva de Atividades lúdicas e o uso da tecnologia em sala de aula. Disponivel em: www.acordacultura.org.br. Acesso em 29/05/2018.

PLANO Nacional das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana. Brasília: SECAD/ SEPPIR, junho, 2009.

ROSEMBERG, Fúlvia. A criança pequena e o direito à creche no contexto dos debates sobre infância e relações raciais. In: BENTO, Maria A. S (org.) Educação infantil, igualdade racial e diversidade: aspectos políticos, jurídicos, conceituais. São Paulo: CEERT, UFSCar, MEC, 2011.

SANTOS, Angelita Lopes; TONIOSSO José Pedro. Relações étnico-raciais na educação infantil. Cadernos de Educação: Ensino e Sociedade, Bebedouro-SP, 3 (1): 1-14, 2016.

SILVA Petronília Beatriz Gonçalves. Aprender, ensinar e relações. Aprender, ensinar e relações étnico-raciais no Brasil.

Porto Alegre/RS, ano XXX, n. 3 (63), p. 489-506, set./dez. 2007.

SILVA, Rosângela Maria de Nazaré Barbosa; COELHO, Wilma de Nazaré Baía. A escola e a cultura escolar: É possível controlar as diferenças no/pelo currículo? Disponivel em: Simpósio ANPAE http://www.anpae.org.br. Acesso em: 15/03/2019.

SILVÉRIO, Valter Roberto AVALIAÇÃO DO PROGRAMA “A COR DA CULTURA”.Ensino da cultura africana e afro-brasileira nas escolas ainda encontra resistências.

SOUZA, Ellen de Lima.PERCEPÇÕES DE INFÂNCIA DE CRIANÇAS NEGRAS PORPROFESSORAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL / São Carlos: UFSCar, 2012.

SOUZA, Marina de Mello e Algumas impressões e sugestões sobre o ensino de história da ÁfricaRevista Hist